Senar/SC forma maior turma de técnicos em agronegócio do Estado

15/02/2018

O Curso Técnico em Agronegócio da rede e-Tec oferecido gratuitamente pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/SC), órgão vinculado à Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc), formou a oitava turma no Estado. O grupo faz parte do polo presencial de Seara, que contou com a maior turma de formandos de Santa Catarina. Os 29 alunos que concluíram o curso receberam sábado (10), no CTG Seara e Pampa, o título de técnicos em agronegócio.

De acordo com o presidente do Sindicato Rural de Seara, Valdemar Zanluchi, o polo foi uma conquista muito grande para a região e a formatura da primeira turma é motivo de imenso orgulho. “Agora temos mais 29 pessoas aptas a executar o comando da sua propriedade ou prestar serviços na área para aumentar a produtividade com qualidade”, enaltece.

O curso teve 80% da carga horária a distância e 20% presencial. Os profissionais formam-se capacitados para desenvolver atividades de gestão do agronegócio em diferentes funções, seja em empresas comerciais, estabelecimentos agroindustriais, assistência técnica e também extensão rural e pesquisa. O curso teve a duração de dois anos e contou com 18 professores, 25 disciplinas e 1230 horas de atividades no total, incluindo visitas técnicas em agroindústrias e propriedades rurais.

Entre os estudantes, diferentes realidades, mas um propósito em comum: modificar e potencializar as propriedades rurais gerando benefícios às famílias e ao setor do agronegócio. O médico veterinário Lucas Dacampo, de 26 anos, mesmo já possuindo curso superior, apostou no técnico em agronegócio para fortalecer a pequena propriedade que possui em Seara, onde atua com criação de peixes e gado de corte. “Procurei o curso para compreender mais sobre gestão e administração da propriedade, para maximizar o lucro pelo controle de investimentos e implantação de tecnologia”, comenta o técnico, que agora pretende buscar espaço em um curso de mestrado para retornar à propriedade com ainda mais conhecimentos.

A jovem Marciele Schlieck, de 22 anos, mora com a família no interior de Concórdia. Na propriedade, ela, o irmão e os pais se dedicam ao gado leiteiro, ovinocultura e produção de feno. A técnica em agronegócio, que sempre trabalhou junto à família na propriedade, já implantou mudanças a partir do aprendizado adquirido no curso. “Aumentamos a ovinocultura, praticamente dobramos o plantel e, consequentemente, os ganhos. Tudo isso porque aprendi mais sobre os cuidados, melhoramento de genética, além de perceber que era possível gerar uma renda extra através do que já tínhamos em casa. Passei a ver oportunidades em coisas que antes a gente não conseguia visualizar”, comemora.

O formado Mauricio Luiz Ranzan, de Quilombo, já tem no currículo os cursos de técnico agrícola, técnico em agrimensura e tecnólogo em gestão ambiental e agora passa a ser reconhecido também como técnico em agronegócio. “Acredito que a formação técnica seja a necessidade que se tem hoje no setor do agronegócio. Eu trabalho como prestador de serviços nessa área e, com este curso, vou conseguir agregar a gestão às minhas atividades”, aponta.

Exemplos tão significativos como estes e dos demais formandos convergem para a satisfação dos organizadores e coordenadores do projeto. “Formar a primeira turma de Seara é uma realização muito grande, principalmente por ser uma cidade com uma cultura predominantemente agrícola”, destaca a coordenadora estadual do Curso Técnico em Agronegócio, Kátia Zanela. Segundo ela, além de formar a maior turma do Estado, o polo de Seara já possui outra turma em andamento e cerca de 100 inscritos pleiteando uma vaga para ingresso em 2018.

O prefeito de Seara Edemilson Canale, que participou do evento de colação de grau, ressaltou a importância da formação de gestores e de pessoas que apostem em tecnologia no meio rural, já que 50% da economia searaense é baseada no agronegócio. “Carecemos de alternativas para ampliar a produção e baixar os custos para sermos mais competitivos e a formação é o caminho. É preciso investir na educação para alcançar estes resultados”, acredita.

GANHOS PARA O AGRONEGÓCIO

Durante o evento, o vice-presidente do Sistema Faesc/Senar-SC Enori Barbieri anunciou que o polo receberá em breve a faculdade CNA com cursos superiores relacionados ao agronegócio. Destacou, também, a importância da capacitação neste setor, que responde por 30% do PIB brasileiro. “Precisamos transformar os agricultores em empresários, tratando as propriedades como empresas rurais. Só assim o trabalho terá qualidade e preço para competir no mercado. Hoje, para permanecer no mercado, é preciso conhecer de economia, do sistema da cadeia produtiva e produzir com alto valor agregado. A escola está preparando para essa nova era, com o apoio do sindicalismo que incorporou uma visão diferenciada, oferecendo estrutura para dar apoio e apresentar soluções”, considera.

Para o superintendente do Senar/SC Gilmar Antônio Zanluchi, a sucessão é um dos principais benefícios do ensino focado no setor agrícola. “A maior satisfação é ver filhos de produtores rurais buscando um melhor preparo para serem sucessores e aqueles que já estão nas suas propriedades poderem torná-las mais eficientes. Toda a região ganha com isso, pois se tratam de oportunidades que podem gerar crescimento”, completa.

O presidente do Sistema Faesc/Senar-SC José Zeferino Pedrozo enfatiza que o curso auxilia os profissionais no reconhecimento da realidade do meio rural identificando as principais potencialidades, limitações e desafios nas diferentes cadeias produtivas. “Os técnicos em agronegócio são capazes de analisar problemas em processos de gestão e de produção agropecuária reconhecendo sistemas de melhoria da qualidade dos produtos e serviços desenvolvidos aplicando técnicas empreendedoras com capacidade crítica, criativa e inovadora”, destaca.

Assessoria de Comunicação Senar/SC