SENAR-AM firma parceria inédita com grande indústria e leva oportunidades aos produtores de açaí

17/10/2013

Uma parceria inédita vai aproximar os produtores de açaí da Amazônia com uma das maiores fabricantes de bebidas do mundo. Através de um termo de cooperação assinado entre o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Amazonas (SENAR-AM) e a Coca-Cola, os extrativistas responsáveis por fornecer a matéria-prima para a fabricação do néctar Del Valle Reserva Açaí com Banana serão capacitados pela entidade.

Quatro cursos já foram realizados e mais 14 treinamentos ocorrerão até maio de 2014, beneficiando mais de 200 produtores. As capacitações – com carga horária de 40 horas/aula – serão realizadas nos municípios onde se localizam as seis agroindústrias que beneficiarão o produto: Carauari, Benjamin Constant, Manacapuru, Codajás, Itacoatiara e Coari. Segundo o superintendente do SENAR-AM, Aécio Silva Filho, o foco das aulas são as boas práticas na produção. A intenção é ensinar os produtores a identificar o momento adequado para a colheita e a maneira correta de fazer o transporte dos açaizais até as agroindústrias. “A Coca-Cola tem um padrão de qualidade muito rigoroso para a matéria-prima que será utilizada nos seus produtos. O produtor precisa ter conhecimentos sobre a retirada, a embalagem e o acondicionamento dos frutos. O prazo para o açaí chegar às agroindústrias não pode ser superior a 24 horas”, explica ele.

Após a transformação em polpa congelada, o produto será enviado para a sede da empresa em Linhares (ES), onde a bebida será fabricada. Inicialmente, a Coca-Cola acertou a aquisição de 300 toneladas do concentrado. A nova bebida faz parte de uma linha especial da Del Valle, produzida a partir de “superfrutas” com alto poder nutritivo.

Cerca de 50 comunidades e mais de 600 famílias estão envolvidas no projeto inicialmente. Na opinião do presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Amazonas (FAEA), Muni Lourenço Silva Júnior, a parceria vai ajudar no desenvolvimento da cadeia produtiva e terá grande alcance social e econômico, beneficiando milhares de famílias de produtores rurais e extrativistas amazonenses – grande parte delas instaladas em Unidades de Conservação Ambiental. “Além de não gerar impacto no meio ambiente, o projeto proporciona melhoria de renda para essas famílias que estão na floresta. Dá para tirar até R$ 100 mil numa safra. A gente costuma dizer que quem tem açaí está com a aposentadoria garantida”, conta.

Projeto vai beneficiar cadeia produtiva do açaí no Amazonas e gerar renda para as famílias envolvidas, destaca o presidente da FAEA, Muni Lourenço

Cooperação promissora

Dados do IBGE apontam que o Amazonas produziu 71.145 mil toneladas de frutos no ano passado e que existem 4.847 produtores envolvidos na atividade naquele estado. Conforme o presidente da FAEA, a produção vem crescendo em níveis elevados e existe incentivo para a ampliação. “O açaí tem a maior tendência de aumento de produção e de área plantada entre todas as frutas. Estive na China recentemente e até lá já conhecem o açaí”, destaca. De acordo com Lourenço, existe a perspectiva de que a parceria com a Coca-Cola seja estendida para outras frutas com “apelo amazônico”, como o cupuaçu e a acerola.

O superintendente do SENAR-AM salienta outro benefício importante da cooperação com a Coca-Cola: a garantia de compra da produção. Mas alerta que para que isso realmente se torne uma vantagem é preciso investir permanentemente em qualificação. “A comercialização é uma das etapas mais difíceis para os nossos produtores. Quando perguntamos para a Coca-Cola qual a previsão de compra, eles responderam que têm um milhão de pontos de venda só no Brasil. É uma demanda incalculável. Queremos capacitar esses extrativistas para que eles se tornem empresários, afinal, estarão fornecendo matéria-prima para ninguém menos do que a Coca-Cola”, relembra.

Assessoria de Comunicação do SENAR
(61) 2109-4141;4128
www.senar.org.br