Programa Empreendedor Rural comemora dez anos em Santa Catarina

14/12/2017

Há 10 anos o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR/SC), órgão vinculado à Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC), iniciava no Estado a primeira turma, totalmente gratuita, do Programa Empreendedor Rural (PER). O objetivo era desenvolver competências empreendedoras e preparar líderes para ações sociais, políticas e econômicas sustentáveis contribuindo para o aumento da renda líquida dos produtores, além de elevar a qualidade de vida da população no meio rural.  De 2007 para cá, 5.830 pessoas participaram do programa, que formou 234 turmas.

“Dez anos depois ficamos felizes em acompanhar os resultados do programa. Santa Catarina é um Estado que apresenta necessidade de reconversão das propriedades rurais para novos processos produtivos. Por este motivo, é necessário formar novos líderes com visão empresarial, capazes de promover a revalorização da atividade rural. A formação profissional ofertada pelo PER capacita os empreendedores com alto nível, preparando-os de maneira inovadora”, observa o presidente do Sistema FAESC/SENAR-SC, José Zeferino Pedrozo.

O programa valoriza o empreendedorismo, o desenvolvimento de competências e habilidades relacionadas à criação de um projeto de melhoramento, ampliação ou implantação de uma nova atividade rural. Para participar é necessário ter idade superior a 18 anos, segundo grau completo, ser produtor rural ou pertencer à família do campo e estar disposto a desenvolver o espírito empreendedor.

A coordenadora estadual do programa Nayana Setubal Bittencourt explica que o programa Empreendedor Rural é desenvolvido em 136 horas, mesclando conteúdos técnicos de gestão e elaboração de projetos com conteúdos importantes de desenvolvimento humano, sucessão familiar, aspectos jurídicos relacionados à propriedade entre outros. “Este ano, o PER formou 604 participantes divididos em 25 turmas em todas as regiões do Estado”, destaca.

O superintendente do SENAR/SC, Gilmar Antônio Zanluchi salienta que entre as abordagens do PER estão a gestão do estabelecimento agrícola e o empreendedorismo das pessoas do meio rural, o debate e a formação de lideranças, o cálculo de custos do processo produtivo e a elaboração de projetos para que os produtores rurais passem a administrar suas propriedades como verdadeiras empresas.

“Os projetos finais apresentados têm como meta implantar uma nova atividade e ampliar as já existentes, garantindo maior rentabilidade e sustentabilidade. Ideias inovadoras, atividades viáveis e empreendimentos produtivos estão surgindo em profusão desses projetos, com saudável aumento do protagonismo da juventude rural”, complementa.

FRUTOS DO PER

Uma das primeiras turmas a se formar iniciou em Urubici, no Planalto Serrano. Os frutos plantados são colhidos até hoje. Desde 2009 os ex-alunos do PER se reúnem bimestralmente para colocar os assuntos em dia, trocar experiências profissionais e confraternizar.

Albanez Souza Sá, diretor técnico da CEASA de São José, foi um dos alunos da turma que ocorreu entre maio e outubro de 2009. “Foi um programa muito bem aproveitado, aprimoramos os conhecimentos. Muitas mudanças ocorreram na nossa propriedade após o PER. Com o conhecimento adquirido organizamos a gestão e assim obtivemos melhor eficiência na nossa produtividade”, conta. Segundo Albanez, participar do PER foi muito importante porque ampliou as informações já existentes, abrindo novos horizontes para o negócio.

Sobre os encontros o produtor relata que permanece até hoje com o intuito de trocar experiências. “Esporadicamente um profissional da área é convidado para efetuar uma palestra a fim de continuarmos atualizando nossas informações. Já foram realizados 46 encontros e duas viagens técnicas, uma na Agrishow em Ribeirão Preto (SP) e outra na Expointer em Esteio (RS). Esses encontros nos motivam a continuar empreendendo no agronegócio expandindo cada vez mais”, conclui.

Assessoria de Comunicação SENAR/SC