Produtor rural de Xanxerê implementa técnica americana Compost Barn para produção de leite

19/06/2017

A organização e a beleza da propriedade de Ari Foletto Junior e família, situada em um local privilegiado, na Linha Medianeira, há 13 km de Xanxerê, estão entre os aspectos que mais chamam a atenção de quem visita o local pela primeira vez. Ao conversar com o produtor e conhecer os diferentes ambientes, onde predominam a lavoura e o gado de leite, é possível perceber que o planejamento, o controle adequado das atividades e a busca pela inovação apontam para um futuro promissor.

O gosto pelo negócio motivou o administrador de empresas e produtor rural Foletto Junior, de 31 anos, a buscar estratégias para investir na produção de leite – setor que seu pai pretendia deixar de lado para focar somente na produção de grãos. Após participar do Programa Negócio Certo Rural, desenvolvido pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Santa Catarina (SENAR/SC) e pelo Sebrae/SC com a parceria do Sicredi, desenvolveu o plano de negócios, visando implementar o Compost Barn – estrutura formada por uma grande área coberta de descanso para vacas leiteiras, revestida com cama de serragem e esterco compostado.

O barracão tem 40 metros de comprimento por 24 metros de largura e comporta 53 animais com 12 metros de cama para cada um. A estrutura foi planejada para ser ampliada e, com isso, trazer a sala de ordenha anexo ao espaço. O ambiente também conta com sistema de controle de temperatura, confinamento e aspersão de água para promover o bem-estar. “Com isso, é possível proporcionar aos animais um local confortável, limpo e que resulta em produtividade e sanidade do rebanho, além de maior qualidade do leite”, enfatiza Foletto Junior.

O produtor conta que buscou conhecimento sobre esse sistema (criado por produtores de leite norteamericamos em meados da década de 80) e com o plano de negócios, constatou que era viável. “Além de ganharmos em produção de leite, ganharemos em produção de grãos também”.

Atualmente, a propriedade conta com 45 vacas holandesas – 24 em lactação, cinco secas e 16 novilhas prenhas. A produtividade atual é de aproximadamente 23 a 24 litros por dia. “Com a aplicação do plano de negócios, pretendemos atingir no mínimo 30 litros por vaca no primeiro ano. A partir do segundo ano, vamos desafiar os animais para obter cerca de 35 a 40 litros por dia”, acrescenta Foletto Junior.

Segundo o produtor, que fornece leite para a Nestlé, a participação no Negócio Certo Rural foi motivada justamente para verificar a viabilidade e o retorno do investimento que totalizou aproximadamente R$ 420.000,00 em recursos próprios e financiados. “O treinamento foi excelente e oportunizou investimentos e inovação na propriedade”.

A propriedade tem valor sentimental muito grande. “Passou de geração para geração. Foi do meu bisavô materno e passou para meu avô que faleceu há dois anos. Fiquei um tempo fora e voltei há quatro anos para ajudar meu pai. Tomei a frente dos negócios na parte do leite e hoje comemoramos a implantação do Compost Barn. Com o planejamento, meu pai ficou responsável pela lavoura e eu com a parte de gado de leite. Dessa forma, ninguém fica sobrecarregado e trabalharemos de forma organizada”, conclui Foletto Junior, que pretende permanecer na propriedade e investir. 

O coordenador regional oeste do Sebrae/SC, Enio Albérto Parmeggiani, observa que a adoção de novas tecnologias na  propriedade de Foletto Junior leva em consideração  fatores que maximizam a produção e minimizam os custos. “A constante avaliação dos indicadores resultam em ganhos em produtividade e qualidade e definem a tecnologia a ser usada. O empresário rural demonstra claramente, neste caso, que na escolha da tecnologia a gestão dos resultados é fundamental, permitindo que no conjunto cada vez mais o oeste se diferencie e conquiste espaço na produção de leite”.

O consultor responsável por ministrar o NCR, Lorival Zanluchi, realça que ao implantar uma inovação tecnológica na cadeia produtiva do leite, é fundamental uma análise criteriosa para que o investimento tenha resultados positivos. “O programa Negócio Certo Rural é formado por curso e consultorias que auxiliam na compreensão do planejamento e administração dos pequenos negócios, visando selecionar ideias e analisar a viabilidade do investimento”.

Segundo o analista técnico do Sebrae/SC, Eduardo Sganzerla, a iniciativa contribui para a melhoria da gestão das atividades praticadas nas propriedades, auxiliando no aumento da renda. Também incentiva os jovens a investirem nos negócios da família ou em oportunidades de trabalho capazes de fixá-los nas suas propriedades. O programa Negócio Certo Rural é composto por 46 horas divididas em cinco encontros de 8 horas, mais seis horas de consultoria.

Assessoria de Comunicação do SENAR/SC
www.senar.com.br