Meta de produtores do programa Mais Leite é dobrar produção

15/05/2015

"A minha propriedade tem uma produção diária de 200 litros de leite, mas pretendo chegar a 400 litros até o final do ano", declarou o produtor Sérgio Pereira de Moraes, um dos primeiros assistidos no programa Mais Leite, do SENAR/MS. Na região de Dourados, 72 produtores participam do projeto focado em ATER - Assistência Técnica e Extensão Rural.

Proprietário de uma área com 25 hectares, Moraes revela que sempre trabalhou na atividade ensinada pelo pai dele. "Tenho 41 anos e desde que 'me entendo por gente' trabalho com bovinocultura de leite. Tanto que meu filho também trabalha comigo e já participou de cursos do Senar. Com o programa de ATER já aumentei a produtividade e tive orientações sobre controle financeiro da produção e dicas de higiene e manejo"detalhou.

Para apresentar novidades do segmento e o funcionamento do programa, foi realizado um Dia de Campo, nesta sexta-feira (15), no Parque de Exposição de Dourados. "Sabemos o quanto é importante para os produtores ações como esta oferecida pelo SENAR/MS, por isso agradeço o apoio do Sindicato Rural. A missão do Sistema Famasul é oferecer condições para o desenvolvimento econômico e produtivo de todas as propriedades do Estado", declarou o diretor secretário do Sistema Famasul - Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul, Ruy Fachini, na abertura das atividades.

Segundo o presidente do sindicato rural de Dourados, Lúcio Damalia, o programa Mais Leite é fundamental para que os produtores possam receber conhecimentos sobre a atividade e ter um acompanhamento profissional satisfatório. "O conhecimento técnico e o manejo correto resultam no aumento da produtividade. Então o dia de campo oferecido hoje proporcionará vantagens a todos os participantes", considerou.

De acordo com o médico veterinário e instrutor do ATER/SENAR, Giancarlo Netto Herter, a realidade dos produtores da região de Dourados não é diferente de outras localidades, mas o acompanhamento já demonstra transformações positivas. "A característica daqui é que os produtores são proprietários legais de suas terras, mas, ainda não tem condições ou coragem para investir intensivamente na produção de leite. Percebemos no momento da avaliação e por isso um dos destaques foi a produção de alimento dos animais, que influencia na diminuição dos custos com a produção e no aumento do leite", argumentou.

Manoel da Silva, 63 anos, se dedica a bovinocultura de leite há quase 10 anos em Dourados e conta que o apoio dos técnicos do SENAR chegou no momento certo. "Minha propriedade é pequena, com 12,3 hectares e a produção ainda é modesta com 80 litros diários. Para mim, o Giancarlo foi um anjo que caiu do céu, ajudando e orientando. Já aprendi bastante e convidei outros vizinhos para participar do programa Mais Leite", reforçou.

O ATER Mais Leite completou um ano e já atendeu 516 produtores em 16 municípios de Mato Grosso do Sul. Para 2015, a meta é ampliar para 18 municípios e ultrapassar 700 assistidos. A metodologia de trabalho do programa foi desenvolvida pelo Sistema CNA/SENAR e tem como base a meritocracia, aliando consultorias (gerencial e técnica) mensais e capacitações bimestrais dos produtores.

Assessoria de Imprensa Sistema Famasul
(67) 3320-9700
www.famasul.com.br