Meio rural trabalha para manter a água jorrando

10/10/2017

Belo Horizonte acabou de sediar o evento “Minas no Caminho das Águas – BH rumo a Brasília”, realizado na Praça da Liberdade no último sábado (7), mas as ações para alertar sobre a importância do tema não acabam ali.

Hoje, é no meio rural que grande parte da água retorna aos lençóis freáticos e reabastece os rios, por meio de tecnologia desenvolvida para conjugar, nas propriedades, produtividade e sustentabilidade. Com treinamentos e muito trabalho, os produtores estão empenhados na missão de garantir a saúde do solo e da água, principais aliados da produção agrícola.

Também presente no evento, o SISTEMA FAEMG levou para a praça informações sobre seus programas em prol da preservação da água e explicou ao público como o produtor rural é também produtor de água, por meio de técnicas utilizadas nas lavouras para facilitar sua infiltração e circulação.

Cursos como os de Recuperação e Proteção de Nascentes e Recuperação de Áreas Degradadas e Alteradas, promovidos pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural - Administração Regional de Minas Gerais (SENAR MINAS) na zona rural, vêm mostrando que com técnicas simples é possível amenizar os efeitos da seca e ainda proteger a natureza.

Desenvolvidos no Programa Nosso Ambiente, do SISTEMA FAEMG, os cursos mostram aos produtores como recuperar olhos d’água antes soterrados e proteger a área do entorno para que não falte água e para que a vegetação proteja a nascente e o solo.

Renascimento da água

O curso de Recuperação e Proteção de Nascentes, lançado em julho de 2015, já é um sucesso de público e levou de volta a alegria a propriedades em mais de 300 municípios ao fazer voltar a jorrar água. Hoje, depois de 901 cursos realizados e de 10.850 pessoas capacitadas (dados de agosto de 2017), o curso é comprovadamente eficaz no que se propõe e um dos mais solicitados no SENAR MINAS. 
Em três dias (24 horas/aula), os alunos aprendem sobre o ciclo hidrológico e outros conceitos, limpam a área, desobstruem o olho d’água e protegem a nascente de forma a manter a limpeza e a vazão da água, para evitar sua contaminação. Além disso, os produtores recebem informações sobre a legislação ambiental e como cuidar do entorno da área.

Além da nascente

Recuperar a capacidade de uma nascente é só um dos passos para garantir água de qualidade. É necessário ter atenção ao entorno do olho d’água para conter a erosão e garantir a área necessária para a recarga hídrica. O objetivo é devolver as condições favoráveis à reestruturação da vida.

No curso de Recuperação de Áreas Degradadas e Alteradas, que já treinou 824 pessoas em suas 75 edições, os participantes recebem informações sobre normas ambientais estaduais vigentes, conservação do solo, bacia hidrográfica, ciclo hidrológico e o reconhecimento e todas as características de árvores nativas, e replantam espécies que existiam anteriormente.

Assessoria de Comunicação do SENAR Minas
www.senarminas.org.br