Curso de Pintura em Tecidos renova esperanças de alunas e resgata cultura de Presidente Juscelino

29/11/2017

A ponte que ligava a cidade de um lado a outro do Rio Paraúna e a agricultura presente no local foram fontes de inspiração para os alunos do curso de Pintura em Tecidos, realizado em Presidente Juscelino pelo SENAR Minas em convênio com o Sindicato dos Produtores Rurais de Curvelo. Com tecido, pincel e tintas na mão os valores e a história do local começam a ganhar forma nos diferentes tipos de fibra têxtil.

Atraída pela possibilidade de aumentar a renda da família, Aniele Maria Silvilina Oliveira se inscreveu e não se arrepende. “Eu já conhecia muitas técnicas porque tenho contato com esse tipo de atividade desde os oito anos de idade. Mas aprendi tanta coisa diferente que saí do curso animada. Comprei o tecido e pretendo começar oferecendo alguns dos materiais mais procurados como panos de copa, jogos de cozinha e quarto”, contou.

Luana Gonçalves de Paula também enxerga um futuro promissor com a pintura em tecidos. “Eu nunca vendi os meus trabalhos, sempre tive em casa para presentear alguém. Descobri que tenho mais habilidade do que imaginava. O curso me deu motivação e segurança para começar a comercializar”.

Os trabalhos artesanais não seguem uma mesma linha de produção, como envolve criatividade, inspiração, técnicas de pincelada, cada material desenvolvido terá uma característica ou personalidade diferente. De acordo com a instrutora do curso, Delmira Pereira dos Santos, um artesão pode ganhar até um salário mínimo incluindo poucas horas de dedicação em sua rotina diária.

Mas é preciso atenção a algumas técnicas de conservação para não ter prejuízos com certos materiais, conforme explica a instrutora. Os pincéis precisam ser lavados, secos e guardados sempre com as cerdas para cima, sem deixar de molho. Quanto aos tecidos, deve-se evitar o sol, alvejantes e molho demorado tanto para as fibras naturais (algodão) ou sintéticas (oxford e lycra).

No caso das tintas, é necessário que elas sejam diluídas e colocadas aos poucos no prato, à medida que o trabalho for demandando. “Pintura em tecido, como outras artes, exige não só o gosto por aquela atividade. Treinar é importante para o desenvolvimento de tal habilidade, quanto mais se pratica, melhor os resultados. Além disso, cursos como o do Senar ajudam no aperfeiçoamento de detalhes que fazem toda a diferença”, acrescenta a instrutora.

Assessoria de Comunicação Sistema FAEMG