Curso de artesanato resgata ícones de antiga estação ferroviária

23/03/2017

Depois do curso de Materiais Reciclados, a Estação Cultura de Passos, em Minas Gerais recebe nesta semana o Curso de Molde Vazado, uma realização do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Minas Gerais (SENAR/MG) em parceria com o Sindicato dos Produtores Rurais (SinRural). O curso reúne 12 alunas que aprendem as técnicas com a instrutora Fátima Eloisa Junqueira Meirelles.

O local, amplamente restaurado pela prefeitura de Passos, é uma fonte de inspiração para os trabalhos artesanais, segundo a instrutora. O prédio que abrigou a extinta estação ferroviária da Companhia Mogiana é parte da história do município e da região. Na última recuperação do local foram preservados o saguão de passageiros, telhado, piso, reboco, pintura e conservadas as características originais do complexo. Os ladrilhos hidráulicos, por exemplo, serviram de modelo para a criação dos moldes vazados que, aplicados em várias peças, proporcionaram resultados surpreendentes.

Todos os ícones do local foram utilizados no resgate cultural do município, associados a outras culturas da cidade, como a produção de leite, café, vestuário, entre outros. Fátima ressalta que os moldes criados sobre estudo dos ladrilhos podem ser utilizados em várias peças artesanais, como bolsas e camisetas, e ser até comercializados como produtos da Estação Cultura. O resgate cultural é um dos temas abordados nos cursos de Promoção Social do Senar, como forma de valorizar a cultura local e estimular esta mesma valorização por aqueles que passam pelas capacitações da entidade.

Entre as participantes, veteranas e iniciantes ficaram deslumbradas com o resultado. Vânia Lúcia Crispim, que tem habilidades em pintura e crochê, era uma delas. Voluntária em trabalho social na Cantina Dona Bernadete, em Passos, que atende adolescentes a partir de 12 anos, foi para o curso em busca de técnicas para a criação de novas peças artesanais. No seu trabalho social ela contribui na confecção de peças que são comercializadas em prol do trabalho realizado na Cantina. “Eu não conhecia a técnica do molde vazado, mas agora posso ‘pintar o sete’ com o que aprendi”.

Assessoria de Comunicação do Sistema FAEMG/SENAR-MG
www.sistemafaemg.org.br