Conceitos Básicos

No Brasil, ano a ano, a utilização da biotecnologia no campo aumenta sistematicamente. De acordo com o levantamento de 2017 do Serviço Internacional para Aquisição de Aplicações Agrobiotecnologia (ISAAA), a área plantada com culturas transgênicas no País foi de 49,1 milhões de hectares, a segunda maior do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos. A adesão deve-se aos benefícios advindos do uso da tecnologia, tais como maior eficiência, facilidade no manejo, otimização do tempo e do uso de defensivos químicos. (dados de maio de 2017).

Entretanto, para que essa tecnologia continue sendo uma aliada do produtor é necessário que ele conheça melhor seu desenvolvimento, o caminho que as variedades transgênicas percorrem até chegar no campo e as especificidades no seu manejo. Aqui o agricultor irá descobrir os conceitos básicos e as melhores estratégias para proteger não somente seu investimento, mas a produtividade de toda agricultura do País.

O que é um transgênico e como ele é produzido?
Trata-se de um organismo que recebeu parte do material genético (um ou mais genes) de outra espécie para obter características da espécie doadora. Quando uma característica de interesse é identificada, os cientistas isolam o gene responsável pela sua expressão. Depois, por meio de técnicas de engenharia genética, esse gene é inserido no organismo que se deseja transformar.

Por que os transgênicos são desenvolvidos?
A maioria dos transgênicos é desenvolvida para que o organismo transformado expresse uma característica que não está disponível no repertório genético da espécie (resistência a uma doença, por exemplo). Atualmente, muitos transgênicos estão sendo usados na medicina, na agricultura e em diversos processos industriais.

Quando foram desenvolvidos os primeiros transgênicos?
Uma das primeiras aplicações comerciais da biotecnologia é também uma das mais úteis: em 1978, cientistas dos Estados Unidos conseguiram produzir, em laboratório, insulina humana por meio de microrganismos transgênicos. O gene da insulina humana foi inserido na bactéria Escherichia coli, que passou a sintetizar essa proteína.

Quais são as plantas transgênicas que o Brasil cultiva?
São variedades de soja, milho e algodão.

O que é biotecnologia e como ela pode ser aplicada à agricultura?
É o conjunto de técnicas que envolvem a manipulação de organismos vivos para modificação de produtos. A biotecnologia pode melhorar a qualidade das plantas e aumentar a produtividade agrícola de forma sustentável. É usada para o desenvolvimento de plantas mais resistentes a pragas, doenças e defensivos químicos, além de espécies mais adaptadas a condições adversas de clima e solo e alimentos de maior valor nutricional.

O que é biossegurança?
A biossegurança é o termo usado para denominar o conjunto de ações e procedimentos que visam controlar e minimizar os riscos decorrentes da exposição, manipulação e uso de organismos vivos com o objetivo de evitar danos e efeitos adversos ao homem, aos animais e ao meio ambiente. No Brasil o órgão responsável por analisar a biossegurança dos OGMs é a Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio).

Os transgênicos causam algum tipo de prejuízo à saúde humana e animal ou ao meio ambiente?
Não. Todos os produtos derivados da biotecnologia e destinados à alimentação humana e animal passam por rigorosas avaliações sobre sua biossegurança. Até hoje, não foram constatados quaisquer efeitos adversos à saúde humana e animal que tenham sido causados por alimentos derivados de plantas transgênicas. Diversos testes também confirmam a segurança dos transgênicos para o meio ambiente.