31 out 2017

Produtor de soja fecha parceria com SENAR e UEL para implantar MIP em Londrina (PR)

Produtor José Roberto Mortari (à esq.) antes do plantio da soja para a safra 2017/2018. Foto: Arquivo pessoal

O produtor rural José Roberto Mortari administra duas propriedades na região de Londrina (PR), onde adota rotação de culturas como soja, milho, aveia, trigo e nabo forrageiro. Na safra 2016/2017, o agricultor recebeu visitas semanais de 16 estudantes de Agronomia da Universidade Estadual de Londrina (UEL), inscritos em um curso do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Paraná (SENAR-PR). Na Fazenda Piratininga, de 550 hectares – 100 dos quais de mata preservada –, eles colocaram em prática um projeto de Manejo Integrado de Pragas (MIP).

Entre setembro de 2016 e fevereiro deste ano, as vistorias ocorreram aos sábados, durante o período de desenvolvimento da soja, que é cultivada em 80% do terreno. Os [veja mais...]


16 out 2017

Embrapa Soja e Emater conduzem projeto de MIP e MID em 75 cidades do Paraná

Programa de MIP em fazenda do Paraná usa técnica da “batida de pano”. Foto: André Prando/Embrapa Soja

A parceria entre a Embrapa Soja e a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Paraná (Emater-PR) começou nos anos 1970, mas, até a safra 2012/2013, as ações eram focadas em palestras e no acompanhamento de algumas áreas. Desde 2013/2014, porém, as duas entidades têm feito um trabalho intensivo de Manejo Integrado de Pragas (MIP) e Manejo Integrado de Doenças (MID), com atividades organizadas e contínuas, treinamentos em boas práticas agronômicas e o envolvimento de produtores e técnicos agrícolas. O MIP é um conjunto de ferramentas baseado na amostragem de insetos-alvo e no monitoramento da lavoura para tomada de decisão quanto ao controle de pragas e à racionalização do uso de inseticidas, [veja mais...]


11 out 2017

Embrapa promove curso sobre Produção de Bacillus thuringiensis: da bactéria ao produto

Placas de Petri com Bacillus thuringiensis. Foto: Claudio Bezerra

A Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, localizada em Brasília, DF, promove no período de 23 a 27 de outubro de 2017 curso sobre Produção de Bacillus thuringiensis: da bactéria ao produto. O objetivo principal é capacitar pesquisadores, estudantes e profissionais do agronegócio na produção do microrganismo Bacillus thuringiensis, também conhecido como Bt. Trata-se de uma bactéria utilizada em pesquisas de controle biológico em todo o mundo há mais de 40 anos. A grande vantagem é que ela é entomopatogênica, o que significa que é específica para controlar o inseto-alvo e, portanto, completamente inofensiva a qualquer ser vivo. Prova disso é que conta com aval da Organização Mundial de Saúde (OMS), [veja mais...]


06 out 2017

Conheça as principais pragas controladas pela tecnologia Bt em soja, milho e algodão

A adoção das boas práticas agronômicas, como o refúgio, o monitoramento de pragas e a aplicação de inseticidas quando necessário, ajuda a evitar ou retardar a “quebra da resistência” em insetos das ordens Lepidóptera e Coleóptera em plantações de milho, soja e algodão Bt. Algumas espécies são capazes de causar danos às três culturas, como é o caso da lagarta-elasmo (Elasmopalpus lignosellus), da lagarta-rosca (Agrotis ipsilon) e de integrantes dos gêneros Helicoverpa e Spodoptera. Confira, abaixo, um raio-X das três principais pragas-alvo da biotecnologia no milho, soja e algodão Bt.

Milho

Larva e besouro de D. speciosa, conhecido como “vaquinha”. Foto: Paulo Lanzetta e Jovenil da Silva/Embrapa

1. Larva-alfinete (Diabrotica speciosa) – É a larva de um pequeno besouro conhecido popularmente como “vaquinha”, “patriota” ou “brasileirinho”, por conta de sua coloração verde-amarela. [veja mais...]


03 out 2017

Fundação MT desenvolve projeto de boas práticas e MIP em duas fazendas do Estado

Amostragem de pragas em plantação de soja é obtida pela técnica “pano de batida”. Foto: Fundação MT

Há três safras, a Fundação MT vem desenvolvendo um trabalho de boas práticas agronômicas e Manejo Integrado de Pragas (MIP) com produtores de milho, algodão e principalmente de soja no Estado. Em 2016/2017, duas fazendas – Guarita, em Rondonópolis, e Gravataí, em Itiquira – receberam monitoramento contínuo ao longo do ciclo, uma vez por semana ou a cada quatro dias durante o período reprodutivo da cultura. A equipe é composta por sete pessoas (entre engenheira agrônoma, técnico agrícola, assistentes de pesquisa e dois profissionais que ficam em laboratório), e a avaliação in loco é conduzida pela pesquisadora da área de entomologia da Fundação MT, Lucia Vivan.

Em cada uma das propriedades, verificam-se desde 2014/2015 [veja mais...]


03 out 2017

FAO sistematiza experiência brasileira na produção do algodão colorido orgânico

A produção de algodão colorido orgânico do Assentamento Margarida Maria Alves, situado no município de Juarez Távora, região Agreste da Paraíba, tornou-se uma referência para produtores do Brasil e de diversos países da América Latina e do Caribe. Para sistematizar essa experiência e contribuir com o compartilhamento desse sistema de produção, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) e a Agência Brasileira de Cooperação do Ministério de Relações Exteriores (ABC/MRE) lançaram neste mês a publicação “Algodão Orgânico Colorido: Gerando renda e cidadania na agricultura familiar do semiárido brasileiro”.

A obra integra uma série de ações do projeto Más Algodón (Fortalecimento do Setor Algodoeiro por meio da Cooperação Sul-Sul), resultado de parcerias trilaterais entre o governo brasileiro, a FAO e os governos da Argentina, Bolívia, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru e Haiti, com [veja mais...]


22 set 2017

Certificação de cadeias produtivas deve ser um processo voluntário

Nelson Ananias foi um dos palestrantes do 11º Congresso Brasileiro do Algodão. (Crédito: Boas Práticas Agronômicas)

A certificação de cadeias produtivas do agronegócio pode ser uma opção interessante para o reconhecimento de uma gestão sustentável e respectivo retorno econômico, mas deve ser decisão voluntária. A posição é defendida pelo coordenador de Sustentabilidade da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Nelson Ananias Filho.

Segundo ele, certificação é o processo pelo qual é monitorada a aplicação de um conjunto de critérios previamente estabelecidos e validados, com, necessariamente, emissão um selo que assegure o cumprimento desses princípios e a boa qualidade socioambiental do produto consumido.

“É um processo voluntário, no qual uma organização busca o reconhecimento, através da garantia dada aos seus clientes e à sociedade de que seu produto tem origem em [veja mais...]


12 set 2017

Rotação de culturas: saiba por que esta é uma ótima opção para o produtor

Grande aliada do Sistema de Plantio Direto (SPD), a rotação de culturas é uma boa prática agronômica que consiste na alternância planejada de espécies em determinada área. Especialistas a consideram uma forma eficiente de reduzir os impactos ambientais provocados pela monocultura, melhorando as condições físico-químicas e biológicas do solo no longo prazo. Além disso, ela reduz a incidência – e confere um manejo mais eficiente – de doenças, plantas daninhas e pragas (favorecendo a quebra do ciclo de vida delas).

Segundo o especialista em Fitopatologia da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Luiz Gonzaga Chitarra, intercalar o plantio de soja-algodão-soja ou soja-milho-soja não é fazer rotação, mas, sim, uma sucessão de culturas, favorável ao desenvolvimento de insetos-praga, patógenos e plantas daninhas. “Não precisa rotacionar a área toda, dá para começar aos poucos. Quando [veja mais...]


06 set 2017

Produtores de algodão podem ter desafio de produtividade como o da soja, prevê ABRAPA

Um desafio nacional para premiar, anualmente, os recordistas em produtividade de algodão do País, a exemplo do que o Comitê Estratégico Soja Brasil (CESB) faz há quase uma década, é o novo projeto da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (ABRAPA). A ideia é realizar uma reunião plenária sobre o tema em até 30 dias e preparar o concurso já para 2018.

“A primeira edição será já no próximo ano se as associações regionais [como ABAPA, AMPA, AMAPA, AMIPA e AGOPA] e todo o elo da cadeia concordarem com a proposta. Em três meses, acredito ser possível estruturar o plano, e boa parte do que já vem sendo feito na soja poderá ser transferido para o algodão”, afirma o engenheiro agrônomo Celito Breda, diretor da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (ABAPA) e [veja mais...]


01 set 2017

Embrapa prevê algodão transgênico resistente ao bicudo

Bicudo é a principal praga do algodoeiro no Nordeste e no Cerrado. Foto: Regina Sugayama

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) trabalha em parceria com entidades e centros de pesquisa para o desenvolvimento de um algodão transgênico resistente ao bicudo-do-algodoeiro (Anthonomus grandis). Essa espécie de besouro, de coloração cinza ou castanha, mandíbulas afiadas e originária da América Central, chegou ao País na década de 1980, em São Paulo, e é considerada hoje a principal praga dessa cultura no Nordeste e no Cerrado, atingindo tanto variedades convencionais quanto Bt (resistentes a insetos).

“Em oito ou dez anos, essa semente [resistente ao bicudo] pode estar à disposição do produtor”, disse o chefe da Embrapa Algodão, Sebastião Barbosa, em entrevista ao Canal Rural durante o 11º Congresso Brasileiro do Algodão, que terminou no [veja mais...]